23 de dez de 2012

O nascimento do Rei Jesus Cristo!

É comum na época de Natal lembrarmos do nascimento de Jesus Cristo, mas muitos de nós acabam ficando somente nisso. Convido você a meditar sobre Quem é este que veio ao mundo para que tenhamos vida eterna e assim sejamos salvos! Te convido a olhar para o amor de Deus que enviou seu Único Filho, e para o amor de Cristo, que fez tamanho sacrifício por todos nós, imerecidamente! 

Glorifique o Senhor Jesus, você que lê esta mensagem! "Porque dele, por ele e para ele são todas as coisas. A Ele seja a glória, para sempre!" (Romanos 11:36). 

"Por isso o Senhor mesmo lhes dará um sinal: a virgem ficará grávida e dará à luz um filho, e o chamará *Emanuel." (Isaías 7:14). 

O anjo levava uma mensagem para uma virgem que tinha casamento contratado com um homem chamado José, descendente do rei Davi. (...) "Não tenha, Maria! Deus está contente com você. Você ficará grávida, dará à luz um filho e porá nele o nome de Jesus. Ele será um grande homem e será chamado de Filho do Deus Altíssimo. Deus, o Senhor, vai fazê-lo rei, como foi o antepassado dele, o rei Davi. Ele será para sempre rei dos descendentes de Jacó, e o Reino dele nunca se acabará." (...) "O Espírito Santo virá sobre você, e o poder do Deus Altíssimo a envolverá com a sua sombra. Por isso o menino será chamado de santo e Filho de Deus." (Lucas 1: 26,27, 30-33, 35). 

Pois já nasceu uma criança, Deus nos mandou um menino que será o nosso rei. Ele será chamado de "Conselheiro Maravilhoso", "Deus Poderoso", "Pai Eterno", Príncipe da Paz". (Isaías 9:6).

Assim, José também foi da cidade de Nazaré da Galiléia para a Judéia, para Belém, cidade de Davi, porque pertencia à casa e à linhagem de Davi. Ele foi a fim de alistar-se, com Maria, que lhe estava prometida em casamento e esperava um filho. Enquanto estavam lá, chegou o tempo de nascer o bebê, e ela deu à luz o seu primogênito. Envolveu-o em panos e o colocou numa manjedoura, porque não havia lugar para eles na hospedaria. (...) Encontraram Maria e José, e o bebê deitando na manjedoura. Depois de o verem, contaram a todos os que lhes fora dito a respeito daquele menino, e todos os que ouviram o que os pastores diziam ficaram admirados. (Lucas 2: 4-6, 16-18).

"Porque Deus tanto amou o mundo que deu o seu Filho Unigênito, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna. Pois Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para condenar o mundo, mas para que este fosse salvo por meio dele." (João 3: 16-17).

A Bíblia diz que o ladrão (Satanás), vem apenas para roubar, matar e destruir; mas Ele (Jesus) veio para que tenhamos vida, e vida em abundância. (João 10:10).

Viva o Rei dos Reis e Senhor dos Senhores! Comemore não apenas neste Natal, mas todos os dias, a vinda deste Poderoso Rei, que nos promoveu a salvação através da fé no Seu precioso nome!

Nota: *Emanuel significa: "Deus conosco".

Postado também no blog Gerados por Cristo.

22 de dez de 2012

Nada faz sentido se não glorificarmos a Deus.

"Pois quanto maior a sabedoria, maior o sofrimento; e quanto maior o conhecimento, maior o desgosto." (Eclesiastes 1:18).

Nos tempos da faculdade, ouvia meu professor de Filosofia dizer: "Quanto mais se obtém sabedoria, mais tristes ficamos. Dói, machuca, é pesado saber de muitas coisas." Quando ouvi tal frase, concordei de imediato. Há pouco que soube que está na Bíblia. Algo escrito há milhares de anos pelo rei Salomão, continua tendo fundamento, fazendo todo o sentido. Quanto mais sabemos, mais sentimos, mais sofremos.

Fico imaginando Salomão, um homem sábio e dedicado a explorar tudo o que é feito debaixo do céu (Ec 1:13), realmente deve ter sentido desgosto, como diz o verso 18. 
Esta semana mesmo, saí à tarde, e desci em uma estação de metrô perto de casa. Vi aquele aglomerado de gente, alguns com olhares agitados, sempre com muita pressa; outros nem sequer me viram, estavam muito ocupados correndo contra o tempo, fazendo o curso automático de cada dia. Outros, impacientes, corriam pela escada rolante e iam às compras, lutando contra as horas que passam. Por um momento, pude experimentar o desgosto do rei Salomão de constatar que nada debaixo do sol faz realmente sentido. Será que precisamos de toda essa pressa? Para onde estamos correndo, exatamente? Desvirtuamos o que é real e relevante. Nossa prioridade é fazer de tudo e fazer depressa. Estamos verdadeiramente alheios à tudo: "Violência faz parte." "Fome sempre existiu." "Pecado não se pode evitar."  Cumprimos o imponente ciclo da sociedade: "Deixe sua família pra lá e vá fazer dinheiro", "Não se atrase para a reunião de hoje", "Faça plásticas", "Compre um carro novo a cada ano", "Experimente o mundo e se dê todos os prazeres possíveis!"
Fico pensando em quando as coisas ficaram desse jeito. Uma realidade onde preciso me privar de ouvir as manchetes da TV, para não ter de sofrer pela minha impotência diante dos fatos, uma realidade onde o pobre é despercebido ali no chão empoeirado, uma realidade triste, onde uma multidão faz terapia depois do expediente para resolver seus problemas extra-conjugais, seu stress pós trabalho, sua falta de tempo aos filhos!  Desde quando que ler as Escrituras tornou-se algo "diferente", pouco comum; que ir à igreja mais de uma vez na semana tornou-se motivo de espanto? Infelizmente evoluímos muito em tecnologia, mas muito pouco como seres humanos, menos ainda como cristãos.  A Lei não é mais lida diante do povo como no Antigo Testamento, hoje temos Bíblias de cores e traduções à escolha, mas preferimos não lê-las! Preferimos o shopping à igreja; o mundo à Cristo. Quão solitários e vazios nos tornamos!
Fico impressionada cada vez que me deparo com escritos bíblicos, que são completamente cabíveis a nossa realidade de hoje! Livros escritos há tantos anos, e quando todos juntos, mostram que o homem sempre foi o mesmo, só que com uma diferença agora: estamos cada vez mais amantes do mundo; cada vez mais anestesiados ao Poder e à relevância da cruz. 

Eis algumas verdades que destaquei:

"Pois um homem pode realizar o seu trabalho com sabedoria, conhecimento e habilidade, mas terá que deixar tudo o que possui como herança para alguém que não se esforçou por aquilo." (Ec 2:21).

"Descobri que todo trabalho e toda realização surgem da competição que existe entre as pessoas. Mas isso também é absurdo, é correr atrás do vento." (Ec 4:4).

"Quem ama o dinheiro jamais terá o suficiente; quem ama as riquezas jamais ficará satisfeito com os seus rendimentos. Isso também não faz sentido." (Ec 5:10).

"Há também outro mal terrível: Como o homem vem, assim ele vai, e o que obtém de todo o seu esforço em busca do vento? Passa toda a sua vida nas trevas, com grande frustração, doença e amargura." (Ec 5:16-17).

"Havia um homem totalmente solitário; não tinha filho nem irmão. Trabalhava sem parar! Contudo, os seus olhos não se satisfaziam com a sua riqueza. Ele sequer perguntava: Para quem estou trabalhando tanto, e por que razão deixo de me divertir? Isso também é absurdo; é um trabalho por demais ingrato." (Ec 4:8).

Resumindo, creio que ao escrever Eclesiastes, Salomão quis mostrar que o real sentido da vida não está nas coisas terrenas, porque não fomos criados por Deus com a prioridade de cumpri-las e servi-las. Deus nos criou para sermos espelhos Seus. Para refletirmos Sua glória nas pequenas e grandes coisas que fazemos. Salomão nos mostra que nada no mundo faz sentido se não cumprirmos o propósito de existirmos. A Bíblia diz: "Sim, lembre-se dEle, antes que se rompa o cordão de prata, ou se quebre a taça de ouro; antes que o cântaro se despedace junto à fonte, a roda se quebre junto ao poço, o pó volte à terra, de onde veio, e o espírito volte a Deus, que o deu." (Ec 12:6-7).

Por último, Salomão deixa as últimas palavras provenientes de Deus neste belo livro, com uma conclusão  mais do que plausível:

"Tema a Deus e obedeça aos seus mandamentos, porque isto é essencial para o homem. Pois Deus trará a julgamento tudo o que foi feito, inclusive o que está escondido, seja bom, seja mau." (Ec 12:13-14).

19 de dez de 2012

Versículo do dia


"E não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus." (Romanos 12:3).

18 de dez de 2012

Resistindo ao pecado.

Meditando na Palavra de Deus na história de José, filho de Jacó, fiquei pensando no quão é possível fugirmos do pecado, e que todos os pecados cometidos, - mesmo o adultério por exemplo, no qual José rejeitou cometer, - não são pecados cometidos apenas aos diretamente envolvidos, mas sobretudo, a Deus. (Repare no versículo destacado abaixo):

E deixou tudo o que tinha na mão de José, de maneira que de nada sabia do que estava com ele, a não ser do pão que comia. E José era formoso de aparência e formoso à vista. E aconteceu, depois destas coisas, que a mulher de seu senhor pôs os olhos em José e disse: Deita-te comigo. Porém ele recusou e disse à mulher do seu senhor: Eis que o meu senhor não sabe do que há em casa comigo e entregou em minha mão tudo o que tem. Ninguém há maior do que eu nesta casa, e nenhuma coisa me vedou, se não a ti, porquanto tu és sua mulher, como pois, faria eu este tamanho mal e pecaria contra Deus? (Gênesis 39:6-9).

Quem já leu a história completa da vida de José relatada na Bíblia, sabe que ele foi um homem temente a Deus. Desde jovem o Senhor já lhe dava sonhos proféticos (Gen 37:6-11), e já no Egito, depois de haver sido vendido pelos irmãos, a Bíblia diz que "o Senhor estava com ele e tudo o que ele fazia o Senhor prosperava em sua mão" (Gen 39:3). 
Vale salientar aqui, que José resistiu ao pecado justamente por temer a Deus. O pecado bate à nossa porta todos os dias com inúmeras ofertas, mas se por algum momento recusamos não é por mérito nosso, e sim porque tememos a um Deus que não aceita o pecado em nós. Muitos, talvez, ao lerem esta história sem um discernimento Espiritual, podem pensar da seguinte forma: "Ah, mas se José tivesse sucumbido à oferta da esposa do Faraó, talvez não tivesse estado preso no cárcere e privado de sua alta posição no palácio do rei." Agora, acontece que Deus estava com José mesmo naquele cárcere, tanto que um dos sonhos interpretados por ele através do Senhor, foi crucial para tê-lo levado de volta à serviço do Faraó, livre do cárcere; e depois José foi honrado pelo Senhor porque o Faraó lhe confiou altas responsabilidades e ainda, Deus o exaltou quando ele recebeu seus irmãos que vieram buscar mantimentos pois havia fome por toda a parte.

É isso que Deus faz com aquele que foge do pecado: Ele exalta e recompensa. Não importa se os anos tem passado e você tem agido corretamente mas tem sido humilhado, injustiçado e traído. Veja José, escravizado em uma terra estranha por treze anos, e depois por três anos preso no cárcere injustamente. "Nada há encoberto que não venha a ser revelado; e oculto que não venha ser conhecido" (Lucas 12:2), por isso, jamais diga que "Deus esqueceu de você", ou que "não adianta fazer o bem porque ao invés de honra, você só tem encontrado sofrimento." Nada está encoberto aos olhos do Senhor, tanto a maldade do ímpio como a bondade do justo. Por isso, jamais deixe de negar às ofertas tentadoras deste mundo e de alegrar-se em fazer a justiça, porque há um grande galardão àqueles que 'vestem-se de linho finíssimo, que são os atos de justiça dos santos.' (Apocalipse 19:8).

17 de dez de 2012

Faça um natal diferente!

Tenho pensado a respeito do real sentido do natal nos últimos dias. Não é novidade à nós que a ideia do natal foi deturpada com o passar dos anos, e que a atmosfera natalina que respiramos nesta época, nada tem de cristã, apenas de capitalista e narcisista. "Eu posso dar bons presentes aos meus filhos", "Eu estarei com a minha melhor roupa e com as unhas impecavelmente bem feitas neste dia", "Eu vou ganhar o presente dos meus sonhos no dia de natal". Esquecemos a essência, e não obstante, ainda bajulamos a nós mesmos no natal. Ficamos lindos, sorridentes e satisfeitos com os presentes recebidos, e enquanto isso, as crianças vão crescendo com uma ideia de que o "herói" do natal é o Papai Noel e não Jesus Cristo; que veio ao mundo para nos resgatar porque já não teríamos chance, pois estávamos destinados a uma eternidade sem Cristo, no inferno realmente. Simplesmente está no automático pensar que Ele nasceu e morreu por nós e isso tornou-se tão irrelevante, que temos agido como se fossemos merecedores disso; mas que muito pelo contrário, Jesus só veio ao mundo porque a graça e o amor de Deus por nós se sobressaiu sobre todo pecado, e se o mundo jaz do maligno e respiramos atrocidades a cada segundo que passa, já podemos imaginar o quão somos míseros sem Deus e o quanto a graça dEle é imerecida sobre nossas vidas! Nossas crianças estão dando ao Papai Noel uma glória que ele não tem. Simplesmente porque ele não é real; criou-se uma fantasia de "bom velhinho" para camuflar a realidade, o real motivo de celebrarmos esta data tão especial! 

Pense nisso! Faça um natal diferente. Troque "sua festa regada à chester e cerveja" por uma meditação sincera de Quem é Jesus e o quanto devemos ficar felizes pela Sua vinda a este mundo! Faça a diferença, resgate a essência de que dia é este, e do quanto Ele nos amou por ter dado Seu único Filho para nos salvar da morte eterna! 

Obrigada Senhor por tudo o que Tu és e por tudo o que tu fizestes por nós, e conscientize o teu povo de que dia é este, e do quanto devemos ser gratos pelo Teu sacrifício por nossas vidas! Em nome de Jesus, Amém!

Me refaz.

Não importa o diagnóstico preocupante que tenhamos recebido do médico; nem as forças escassas devido a uma desilusão amorosa. Não importa se caímos, se o chão se esvaiu de nós assim, de repente; Não importa o nosso estado... somos vasos de barro nas mãos do Oleiro, somos quebrados e refeitos até o último dia!

Crédito: sperttobatista

"Teu amor me refaz. Quebra tudo e faz de novo e de novo. Teu amor me desfaz..."

16 de dez de 2012

Postagem no blog Gerados por Cristo: Buscai enquanto há tempo.

Gerados por Cristo: Buscai enquanto há tempo.: Hoje como de costume, estive visitando uma livraria perto de casa, e pela primeira vez depois de muito tempo, a não ser talvez a única vez,...

Versículo do dia


"Em seus lábios estejam os altos louvores a Deus, nas suas mãos, espada de dois gumes." (Salmos 149:6). 

11 de dez de 2012

O pecado da língua.

"Coloca Senhor, uma guarda à minha boca; vigia a porta dos meus lábios." (Salmos 141:3).


Todos nós quando caminhamos com Deus e meditamos em Sua Palavra, nos deparamos com nossos pecados. É inevitável este encontro. A Bíblia nos mostra inúmeros pecados que desagradam a Deus e nos adverte a confessarmos e nos arrependermos de cada um deles. Alguns carregam o pecado da mentira, outros do orgulho, alguns lutam contra vícios... certamente todos nós estamos propensos a falhas todos os dias, alguns com o ponto fraco na inveja e outros na avareza. Uns pecam com a língua, e outros são arrogantes. Todos nós temos pontos falhos à mudar, e a boa notícia é que Deus perdoa os verdadeiramente arrependidos.
No meu processo caminhando com Deus, percebi que alguns pecados e maus hábitos deixei para trás sem grandes esforços. Deus ajudou-me neste propósito, e os abandonei quase que automaticamente. Outros, no entanto, vigio diariamente para não repeti-los, e quando percebo que errei em algum aspecto, não deixo de me arrepender e confessar diante de Deus. O fato é que não podemos nos esconder de Deus. Ele sabe exatamente o que você pensa, sente, e o que acalenta no coração. Nós podemos facilitar as coisas agindo com humildade e simplesmente pedindo o perdão de Deus. A graça de Deus promete perdoar aqueles que se arrependem e abondam os erros cometidos. Sempre vale muito à pena experimentarmos esta bênção, nos sentimos mais leves e próximos de Deus sempre que isto acontece.
Há algum tempo tenho lutado contra o pecado da língua. As vezes me deparo com situações e atitudes que não concordo, que não admiro, e então me pego resistindo a um bombardeio de críticas e indignação. Desde que entendi que há uma separação entre Deus e o pecado, e principalmente depois que li na Palavra de Deus que nós não devemos julgar ninguém, senti que este pecado era algo que definitivamente eu deveria eliminar da minha vida; Entendi que a minha opinião sobre o próximo é apenas a minha opinião, o julgamento válido cabe apenas à Deus e mais ninguém.
O fato é que a grande maioria de nós comete este terrível pecado; alguns mais, outros menos, a verdade é que simplesmente não podemos ceder à língua, antes devemos usá-la para louvar a Deus que é compassivo e misericordioso e perdoa nossos pecados.

Não importa se usamos nossas línguas para o mal com murmurações, criticismo, calúnias, contendas, palavrões, ou com o que mais for; Este é o momento de abandonarmos todo mau hábito e pecado e meditarmos na Palavra de Deus que nos instrui a "ficar longe dos nossos lábios a maldade" (Prov 4:24).

"Que as palavras da minha boca e a meditação do meu coração sejam agradáveis a ti, Senhor, minha Rocha e meu Resgatador." (Salmos 19:14).

"Eu disse: Vigiarei a minha conduta e não pecarei em palavras; porei mordaça em minha boca..." (Salmos 39:1).

"O Senhor dá palavras aos meus lábios, e a minha boca anunciará o teu louvor." (Salmos 51:17).

"Coloca Senhor, uma guarda à minha boca; vigia a porta dos meus lábios." (Salmos 141:3).

"Afaste da sua boca as palavras perversas; fique longe dos seus lábios a maldade." (Provérbios 4:24).

"A língua tem poder sobre a vida e sobre a morte; os que gostam de usá-la comerão do seu fruto." (Provérbios 18:21). 

Que sejamos realistas com Deus quanto às nossas falhas, e que enquanto vivermos possamos experimentar um coração puro, e uma conduta irrepreensível aos olhos de Deus!

10 de dez de 2012

Versículo do dia


"E a glória do Senhor será revelada, e todos saberão pois é o Senhor quem fala". (Isaías 40:5).

7 de dez de 2012

Versículo do dia


"Recompensou-me o Senhor conforme a minha justiça e retribuiu-me conforme a pureza das minhas mãos." (Salmos 18:20).

6 de dez de 2012

A criação louva ao SENHOR!

Achei este vídeo extraordinário! Trata-se do Salmo 148 sendo revelado a nós de uma forma talvez por muitos nunca pensada: O louvor e a adoração de todo universo ao Senhor!

"O objetivo disso é pra mostrar que Deus é um Deus que não precisa de nada e obviamente não precisa de nós, de banda, de música. Ele tem o UNIVERSO!"


Fonte: deribas02

Louvai ao SENHOR. Louvai ao SENHOR desde os céus, louvai-o nas alturas. Louvai-o, todos os seus anjos; louvai-o, todos os seus exércitos. Louvai-o, sol e lua; louvai-o, todas as estrelas luzentes. Louvai-o, céus dos céus, e as águas que estão sobre os céus. Louvem o nome do SENHOR, pois mandou, e logo foram criados. E os confirmou eternamente para sempre, e lhes deu um decreto que não ultrapassarão. Louvai ao SENHOR desde a terra: vós, baleias, e todos os abismos; Fogo e saraiva, neve e vapores, e vento tempestuoso que executa a sua palavra; Montes e todos os outeiros, árvores frutíferas e todos os cedros; As feras e todos os gados, répteis e aves voadoras; Reis da terra e todos os povos, príncipes e todos os juízes da terra; Moços e moças, velhos e crianças. Louvem o nome do SENHOR, pois só o seu nome é exaltado; a sua glória está sobre a terra e o céu. Ele também exalta o poder do seu povo, o louvor de todos os seus santos, dos filhos de Israel, um povo que lhe é chegado. Louvai ao SENHOR. (Salmos 148).

A inspiração e a autoridade das Escrituras.


2 Tm 3:16-17: "Toda Escritura divinamente inspirada é proveitosa para ensinar, para redarguir, para corrigir, para instruir em justiça, para que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente instruído para toda boa obra." 

O termo "Escritura" conforme se encontra em 2 Tm 3:16, refere-se principalmente aos escritos do AT. Há evidências, porém, de que escritos do NT já eram considerados Escritura divinamente inspirada por volta do período em que Paulo escreveu 2 Tm (1 Tm 5:18), cita Lc 10:7; 2 Pe 3:15-16). Para nós, hoje, a Escritura refere-se aos escritos divinamente inspirados tanto do AT quanto do NT, a Bíblia. São (os escritos) a mensagem original de Deus para a humanidade, e o único testemunho infalível da graça salvífica de Deus para todas as pessoas.
(1) Paulo afirma que toda a Escritura é inspirada por Deus. A palavra "inspirada" provém de duas palavras gregas: Theos, que significa "Deus", e pneuo, que significa "respirar". Sendo assim, "inspirado" significa "respirado por Deus". Toda a Escritura, portanto, é respirada por Deus; é a própria vida e Palavra de Deus. A Bíblia, nas palavras dos seus manuscritos originais, não contém erro; sendo absolutamente verdadeira, fidedigna e infalível. Esta verdade permanece inabalável, não somente quando a Bíblia trata da salvação, dos valores éticos e da moral, como também está isenta de erro em tudo aquilo que ela trata, inclusive a história e o cosmos (cf. 2 Pe 1: 20-21; note também a atitude do salmista para com as Escrituras no Sl 119).
(2) Os escritores do AT estavam conscientes de que o que disseram ao povo e o que escreveram é a Palavra de Deus (ver Dt 18:18; 2 Sm 23:2). Repetidamente os profetas iniciavam suas mensagens com a expressão "Assim diz o Senhor".
(3) Jesus também ensinou que a Escritura é a inspirada Palavra de Deus até em seus mínimos detalhes (Mt 5:18). Afirmou, também, que tudo quanto Ele disse foi recebido da parte do Pai e é verdadeiro (Jo 15:26; 16:13; 1 Co 2:12-13; 1 Tim 4:1). Ele falou da revelação divina ainda futura (verdade revelada no restante do NT), da parte do Espírito Santo através dos apóstolos (Jo 16:13; cf. 14:16-17; 15:26-27).
(4) Negar a inspiração plenária das Sagradas Escrituras, portanto, é desprezar o testemunho fundamental de Jesus Cristo (Mt 5:18; 15:3-6; Lc 16:17; 24:25-27, 44-45; Jo 10:35), do Espírito Santo (Jo 15:26; 16:13; 1 Co 2:12-13; 1 Tm 4:1) e dos apóstolos (3:16; 2 Pe 1:20-21). Além disso, limitar ou descartar a sua inerrância é depreciar sua autoridade divina.
(5) Na sua ação de inspirar os escritores pelo seu Espírito, Deus, sem violar a personalidade deles, agiu neles de tal maneira que escreveram sem erro (3:16; 2 Pe 1:20-21).
(6) A inspirada Palavra de Deus é a expressão da sabedoria e do caráter de Deus, e pode, portanto, transmitir sabedoria e vida espiritual através da fé em Cristo.
(7) As Sagradas Escrituras são o testemunho infalível e verdadeiro de Deus, na sua atividade salvífica a favor da humanidade, em Cristo Jesus. Por isso, as Escrituras são incomparáveis, eternamente completas e incomparavelmente obrigatórias. Nenhuma palavra de homens ou declaração de instituições religiosas iguala-m-se à autoridade delas.
(8) Qualquer doutrina, comentário, interpretação, explicação e tradição deve ser julgado e validado pelas palavras e mensagem das Sagradas Escrituras.
(9) As Sagradas Escrituras como a Palavra de Deus devem ser recebidas, criadas e obedecidas como a autoridade suprema em todas as coisas pertencentes à vida e à piedade. Na igreja, a Bíblia deve ser a autoridade final em todas as questões de ensino, de repreensão, de correção, de doutrina e de instrução na justiça (2 Tmn 3:16-17). Ninguém pode submeter-se ao senhorio de Cristo sem estar submisso a Deus e à sua Palavra como a autoridade máxima (Jo 8:31,32,37).
(10) Só podemos entender devidamente a Bíblia se estivermos em harmonia com o Espírito Santo. É Ele quem abre as nossas mentes para compreendermos o seu sentido, e quem dá testemunho em nosso interior da sua autoridade.
(11) Devemos nos firmar na inspirada Palavra de Deus para vencer o poder do pecado, de Satanás, e do do mundo em nossas vidas (Mt 4:4; Ef 6:12-17; Tg 1:21).
(12) Todos na igreja devem amar, estimar e proteger as Escrituras como um tesouro, tendo-as como a única verdade de Deus para um mundo perdido e moribundo. Devemos manter puras as suas doutrinas, observando fielmente os seus ensinos, proclamando a sua mensagem salvífica, confiando-as a homens fiéis, e defendendo-as contra todos que procuram destruir ou distorcer suas verdades eternas. Ninguém tem autoridade de acrescentar ou subtrair qualquer coisa da Escritura.
(13) Um fato final a ser observado aqui. A Bíblia é infalível na sua inspiração somente no texto original dos livros que lhe são inerentes. Logo, sempre que acharmos nas Escrituras alguma coisa que parece errada, ao invés de pressupor que o escritor daquele texto bíblico cometeu algum engano, devemos ter em mente três possibilidades no tocante a um tal suposto problema: (a) as cópias existentes do manuscrito bíblico original podem conter inexatidão; (b) as traduções atualmente existentes do texto bíblico grego ou hebraico podem conter falhas; ou (c) a nossa própria compreensão do texto bíblico pode ser incompleta ou incorreta.

*Bíblia de Estudos Pentecostal, Donald C. Stamps.

3 de dez de 2012

Desperta, Igreja!

"Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo grande desejo de ouvir coisas agradáveis, ajuntarão para si mestres segundo os próprios desejos." (2 Tm 4:3).

Estamos na semana que antecede o segundo domingo de dezembro, no qual comemoramos o Dia da Bíblia. Convido você a assistir este vídeo não somente nesta semana especial, mas sempre que precisar de um verdadeiro despertar, um acordar, um avivamento! Que a partir de hoje, venhamos viver o verdadeiro Evangelho, consultar a palavra do Senhor, e sermos cumpridores dela!
Eis aqui um vídeo de grande impacto, que nos confronta quanto ao tipo de igreja que temos sido, à mensagem que nos tem sido pregada; ao quanto temos ignorado a santificação, ao não conformismo com este mundo, ao quanto nos tornamos anestesiados quanto ao pecado e suas consequências! Prega-se em grande escala hoje, um Evangelho distorcido, que camufla muitas verdades, que agrada em muito aquele que deseja tornar-se próspero, carnal, que quer ignorar e isolar de si a nossa pobreza espiritual, a deturpação deste mundo! Hoje, em demasia está sendo pregado o que o mundo quer ouvir. Perdeu-se a essência, busca-se nas igrejas "um Deus de milagres", "um Deus provisor", uma rotina mecânica onde entoamos hinos e com os pés fora da igreja voltamos ao nosso lixo diário, aos nossos desejos carnais. 
Que possamos ser verdadeiros servos de Deus! Que não aceitam o pecado, que confrontam este mundo com a miséria espiritual que temos vivido, e que esta mudança comece em mim, em você, e que possamos frutificar mais e mais a cada novo dia; e que Deus nos faça perseverar enquanto estamos na contramão deste mundo, para que venhamos ser santos, puros, e dignos de herdar o Reino de Deus.