21 de jun de 2013

Sua dor servirá de consolo.

Queridos(as)! Desculpe a demora em postar, está difícil conciliar minhas atividades, com as postagens diárias no Instagram e aqui no blog. Mas o SENHOR é a nossa força e me dará estratégias para continuar escrevendo aqui continuamente. [Adicione meu IG: @filhadosoberano].


"Bendito seja o Deus Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, Pai das misericórdias e de toda consolação, que nos consola em todas as nossas tribulações, para que, com a consolação que recebemos de Deus, possamos consolar os que estão passando portribulações." (2Co 1:3-4). A Bíblia também diz que "Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que o amam..." (Rm 8:28).

E é verdade. Mesmo tratando-se de coisas ruins e situações dolorosas, Deus as usará para cooperar ao nosso bem, e ao bem daqueles que vivem (ou viverão) as mesmas experiências que nós.

Vivi problemas muito angustiantes no passado, e na época, não conseguia ver algo de bom ou mesmo de proveitoso naquilo; mas com o passar dos anos entendi que aquelas situações haviam me amadurecido e me tornado mais forte; e além disso, agora posso consolar pessoas que porventura vivem as mesmas coisas.

Quando você vive a situação, seu "discurso" é mais eloquente; seu consolo parece ter um peso maior! Você já viveu as mesmas feridas, foi consolado por Deus, e agora pode ajudar os demais. O sofrimento nos torna mais sensíveis à dor do outro. Já não podemos ficar indiferentes, o Espírito de Deus nos lembra de acolher e intervir. E esse é nosso papel aqui. Jesus veio para servir.

 Lembre-se das três vezes em que Ele orou no Getsêmani. Sua alma era de uma tristeza mortal (Mt 26:38), e ainda disse ao Pai: "Meu Pai, se for possível, afasta de mim este cálice; contudo, não seja como eu quero, mas sim como tu queres (Mt 26:39).

Há cálices, que infelizmente, não podemos afastar de nós. Por outro lado, quando bebemos deles, acontece a consolação e uma bênção maior que sequer podemos mensurar. Jesus foi glorioso quando venceu a morte na Cruz. Veja quão abundantes consolações e graça recebemos de Deus por causa de Seu sofrimento brutal! Se Deus quiser nos livrar, amém; mas se hoje precisamos viver algo difícil para conquistar futuramente algo de bom, que assim seja.

Vamos viver para aliviar as almas do mesmo modo que nos foram e nos serão aliviadas as nossas! Há poder de cura e salvação dentro de nós. Deixe o Espírito Santo operar na vida de outros por intermédio de ti.

Deus abençoe à todos!

7 de jun de 2013

Qual é o seu motivo?


"Que eles dêem graças ao Senhor por seu amor leal e por suas maravilhas em favor dos homens." (Salmos 107:31)

Tenho pensado a respeito da motivação nos últimos dias. Sobre os impulsos internos que nos levam à fazer alguma coisa. Sempre há um motivo, ainda quando não estamos satisfeitos em fazê-lo. Posso, por exemplo, não gostar do meu trabalho, mas me motivo a fazê-lo, porque preciso do salário ao final do mês, e no momento é necessário que eu adquira experiência naquela determinada atividade, por exemplo. Mas o bom da vida, é quando encontramos algo maior; algo que nos impulsiona abundantemente à prosseguir, descartando todas as chances de retroceder e desanimar; Eu encontrei o meu motivo em Deus!

A pior coisa que existe, é aquele que endurece o coração à Deus. Dá brechas ao ceticismo, à incredulidade, e sutilmente sua vida é saqueada por completo, pelo maligno. Seus sonhos se esvaem, sua vida já não têm a proteção Divina; por este ignorar à Deus e abandoná-Lo, agora encontra-se vulnerável, exposto, nu, frente ao inimigo. Sua mente crê nas mentiras de Satanás, seu coração dilacera-se gradativamente; já não há razão em existir.

É o risco daquele que não procura encher-se do Espírito! Sua carne vai ficando forte, torna-se cada vez mais difícil resistir ao pecado, e o inimigo sempre à espreita, ao derredor e esperando à quem tragar, lança seus dardos inflamáveis de mentiras, no qual ele é mestre, especialista e pai! De repente começam os pensamentos enganosos: "Será mesmo que Deus existe?"; "Deus não tem nada de bom para a minha vida"; "Deus não me ama"; "Como pode um Deus bom permitir que a minha vida seja dessa forma?" Mentiras, enganos, afirmações distorcidas, mas "convincentes". Esse é o risco. Esse é o preço de endurecer o coração à Deus e caminhar no pecado! Enquanto vivemos com Deus, nascidos Dele, (regenerados), neste, o Maligno não o toca (1Jo 5:18); mas a Bíblia diz que o mundo está sob o poder do Maligno (1Jo 5:19). Pondere o estrago! 

Já vivi longe de Deus, irmãos. Antes de conhecê-Lo (de meu encontro real com Ele), experimentei o que é estar sob o poder do Maligno. Pela graça de Deus, muitos livramentos e desgraças foram evitados, mas por causa da minha desobediência, fui roubada em diversas áreas da minha vida!

Minha saúde era um completo caos; já escrevi aqui sobre isso. Acordava mal, ia dormir pior. Sintomas desgastantes e sem diagnóstico preciso; uma depressão severa que me tirou toda a alegria, transtornos psicológicos, períodos de uma euforia terrível onde não dormi nem comi por vários dias. Meu dia, era apenas mais um terrível dia. Trabalhava num ambiente hostil, vivia relacionamentos conturbados com as pessoas, minha vontade de viver era zero, dentro de mim havia um vazio tangível, parecia um buraco. Me isolava das pessoas, tinha crises horríveis, desejava nunca ter nascido!

Deus nisso tudo? Era Alguém que eu  até cria, mas só buscava quando lembrava, ou já não suportava mais o peso do pecado. O pecado de odiar o fôlego de vida que Ele me dera, de planejar minha própria destruição, ainda que na minha lembrança mais distante, eu sempre soubesse que era templo Dele, e que fui criada com um propósito infinitamente maior do aquele terrível que eu mesmo me colocava.

Só quem experimenta o cativeiro, conhece a liberdade. Hoje me sinto como essas crianças desta imagem! Gosto da luz do sol, assim como eles correm neste lindo dia. Hoje abro as janelas, que sempre mantinha fechadas. Valorizo pequenas coisas como esta. O colorido de todos esses balões que me convencem de que não há apenas o modo cinza de pensar. A vida não é feia, não é amarga, Deus jamais desviará os olhos de mim; há diversas cores, diversas chances de mudar o ponto de vista, de experimentar a única coisa  relevante e que realmente importa nessa vida: servir à Deus nos momentos felizes e tristes, porque hoje entendo que distanciar-se Dele é a decisão mais lamentável que alguém pode tomar!

Dou graças ao Teu amor leal, Senhor! Dou graças por Tuas maravilhas em meu favor! Dou graças porque Tu és o meu motivo todos os dias! É confortante saber que, embora o dia não tenha sido bom, mas eu o terei começado da melhor maneira possível: buscando Tua face e Te entregando a minha vida! Todos os dias, até que minha entrega seja completa, e a tua glória me revista!

1 de jun de 2013

Voltando-se à Deus em momentos difíceis.


Diante das dificuldades da vida, sem hesitar, devemos buscar o refrigério na única Fonte segura: em Deus. Para ilustrar a eficácia de buscar à Deus diante de situações difíceis, escrevo sobre a rainha Ester, da Bíblia.

Ester se viu diante de uma situação muito complexa. Ela, sendo judia, enfrentava grande perigo de ser aniquilada junto de todo o seu povo que estava espalhado na Pérsia. Não obstante, precisava pedir o favor do rei à si mesma, e ao seu povo, mas qualquer tentativa de aproximar-se do rei sem ser chamada, poderia resultar em sua morte, a não ser que o rei estendesse o cetro de ouro e lhe poupasse a vida (Ester 4:11).

Mesmo que os olhos de Ester estivessem vendo uma situação complicadíssima, Ester revestiu-se de sabedoria, e imediatamente, pediu que seu povo jejuasse por três dias e três noites, juntamente dela e de suas criadas. 

O desespero não paralisou esta rainha. Ao contrário, Ester sabia que o mais sensato e cabível para aquela situação, era interceder por seu povo e proclamar um jejum integral por três dias. Ela cria que o clamor, as lágrimas e a humilhação de seu povo, seriam essenciais antes que pedisse o favor do rei. Ainda que não lemos de maneira explícita sobre a oração de Ester, posso ver esta sábia rainha, não apenas jejuando, mas também levantando à Deus clamores desesperados por seu povo.

Ester poderia ter se deixado abater pela emoção; poderia ter se precipitado ao dirigir-se ao rei, colocando tudo à perder. Pagaria, provavelmente, com a própria vida, e seu povo estaria fadado à morte por um homem perverso, num país estrangeiro. As vezes agimos assim. Deixamos a emoção fluir dentro de nós, enquanto deveríamos ponderar a situação, e procurar o auxílio de Deus. Ester foi vitoriosa. Seu plano de falar ao rei foi bem sucedido; o povo judeu, que antes corria perigo iminente, agora dominava aquelas cidades e ninguém os podia resistir. 

Deus é assim. Age através de nossos jejuns e orações! Pode reverter por completo uma situação difícil, como foi o caso de Ester e o povo judeu. De imediato, olhamos com pesar e com falta de esperanças para os nossos problemas; mas o achegar-se à Deus e a busca frequente por seu auxílio, nos garante uma fé sobrenatural; que nos leva do medo ao júbilo, e assim como este povo, do perigo à vitória!

Tão somente creia. Embora algumas situações padeçam de uma solução "impossível", lembre-se do que Jesus disse: "Tudo é possível àquele que crê" (Mc 9:23).