29 de set de 2015

Ah meu povo malhado na eira!


Esta manhã meu primeiro pensamento foi algo que o Espírito Santo colocou em minha mente e refere-se a esta passagem: “Ah, meu povo malhado na eira! Eu lhes conto o que ouvi da parte do Senhor dos Exércitos, da parte do Deus de Israel.” (Isaías 21:10).

Eira é um espaço onde os cereais eram malhados e peneirados, separando a palha e outros detritos dos grãos de cereais.

Há uma tradução desta mesma passagem que diz: “...povo meu, debulhado e batido.” Debulhar, é como mencionei acima, fazer a separação do trigo e da palha, e bater se refere a bater o trigo com varas para retirar a palha.

Esta analogia refere-se a nós e Deus. O processo de debulhar, de separar o trigo da palha refere-se à nossa separação de toda mistura, de tudo o que não é santo e condizente com a nossa nova vida em Cristo (2 Coríntios 5:17, 1 Pedro 1:16). E o processo de bater se refere ao aperfeiçoamento de Deus, enquanto Ele remove tudo o que não provém dEle de nossas vidas, incluindo pecados, hábitos nocivos, embaraços, ídolos e outros elementos.

Depois de debulhado e batido, o trigo era lançado para o alto. Enquanto o trigo caía dentro da eira, o vento jogava a palha fora. Diante desse simbolismo de Deus para nos trazer essa reflexão, meditemos de coração pedindo a Deus o que Ele anseia remover de nossas vidas para que sejamos como esse trigo no processo final, puro, sem misturas, em seu estado desejável.

Está escrito na Palavra de Deus: “Pois o Senhor disciplina a quem ama, e educa todo aquele a quem recebe como filho”. (Hebreus 12:6). Essa disciplina nem sempre é fácil, mas é necessária. Enquanto o trigo é batido ele é preparado para o estado que ele deve ter. Do mesmo modo nós, enquanto o Senhor nos prova, nos disciplina, vamos tomando a forma que Ele deseja gerar em nós e somos aperfeiçoados, purificados por Ele.

Deixemos o Senhor remover toda impureza e toda sobra de nós. Poderá ser difícil para nós esse processo, mas deixar-se moldar pelo Deus Criador é na verdade uma bênção e motivo de alegria! (Tiago 1:2).

Deus os abençoe!
Priscila Grah

25 de set de 2015

Intimidade e não religiosidade


Estive meditando sobre algo que quero compartilhar com vocês. Tenho pensando no quanto é possível que sirvamos a Deus, sejamos assíduos nos cultos em Sua casa, tenhamos nosso devocional religiosamente feito todos os dias, mas, a despeito de tudo isso, não tenhamos intimidade com Deus e não nos relacionemos com Ele no nível profundo que deveríamos nos relacionar.

No Salmo 50 o Senhor declara que Ele não tem necessidade de nenhum novilho dos estábulos, nem dos bodes dos currais, pois todos os animais são dEle, assim como o mundo é dEle e tudo o que nele existe. (Salmos 50:9-10,12). Esse Salmo soa como um despertar de Deus ao Seu povo, que observava a lei e oferecia a Deus tantos rituais, viviam tanta religiosidade, mas talvez não vivessem o mais importante, o relacionamento, a profundidade que Deus ansiava que Seu povo tivesse com Ele. 

É comum sermos tentados a nos orgulharmos daquilo que fazemos para Deus, seja no ministério ou em nosso tempo devocional com Ele, mas jamais podemos esquecer que, como está escrito neste Salmo, tudo é dEle, e não há nenhum mérito ou glória em nós mesmos.

E após essas palavras, o Senhor nos adverte quanto à três coisas que espera de nós: “Ofereça a Deus em sacrifício a sua gratidão, cumpra os seus votos para com o Altíssimo, e clame a mim no dia da angústia; eu o livrarei, e você me honrará." (Salmos 50:14,15).

Você prestou atenção? Deus quer que no dia da sua angústia, você clame a Ele! Quando estamos angustiados, atribulados, passando por adversidades, a primeira pessoa que devemos buscar é Jesus! Há pessoas que, quando precisam de algo, recorrem primeiramente às outras pedindo oração, ou correm para desabafar seus problemas, mas devemos ter como prioridade buscar a Deus, irmãos, orando a Ele, e imediatamente entregando toda angústia de nossos corações!

Não há nada de errado em pedirmos oração a nossos irmãos e dividirmos nossos fardos, Deus se agrada que nos unamos em nossos propósitos, mas somos os primeiros responsáveis por apresentarmos nossas dificuldades diante de Deus, antes que esperemos apenas de outros.

Isso também envolve relacionamento com Deus! Se apenas os outros oram por nós e pelas nossas causas, é certo que nossa relação com Deus é superficial e jamais viveremos a plenitude do que Ele tem pra nós enquanto não nos posicionarmos.

Davi entendeu muito bem o que Deus esperava dele. Ele sabia que, apesar de observar a lei, o sacrifício, por si só não bastava. Ele deveria ter um relacionamento sincero com Deus, e um coração quebrantado e corrigível: “Não te deleitas em sacrifícios nem te agradas em holocaustos, se não eu os traria. Os sacrifícios que agradam a Deus são um espírito quebrantado; um coração quebrantado e contrito, ó Deus, não desprezarás.” (Salmos 51:16,17).

Deixemos Deus nos conduzir, deixemos Ele quebrar nossos grilhões, romper com nossos rituais, e permitamos que, enquanto O buscamos e O adoramos, Ele retire nossos excessos e acrescente tudo aquilo que nos falta, a fim de que estejamos mais próximos do que Ele espera ver em nós.

Que Deus nos abençoe e nos leve a um nível muito mais profundo!

Priscila Grah

21 de set de 2015

Conheçamos o Senhor!


“Meus ouvidos já tinham ouvido a teu respeito, mas agora os meus olhos te viram.” (Jó 42:5).

Se perguntarmos para a grande maioria das pessoas se elas conhecem a Deus, certamente a resposta será afirmativa. Mas muitos de nós, assim como Jó, só conhecemos realmente a Deus e tivemos um encontro real com Ele, quando fomos experimentados no sofrimento ou quando em algum momento de nossas vidas fomos atraídos a Ele mais proximamente.

É possível que tenhamos conhecimento teológico e saibamos de cor, todos os milagres, feitos e atributos de Deus, mas se não tivermos uma experiência pessoal com Ele, esse “conhecimento” de Deus nos fará meros expectadores, ouvintes de quem Ele é, mas não poderemos dizer deste modo, que O conhecemos porque Ele se revelou à nós e porque temos um relacionamento com Ele.

Oséias declarou: “Conheçamos o Senhor; esforcemo-nos por conhecê-lo. Tão certo como nasce o sol, ele aparecerá; virá para nós como as chuvas de inverno, como as chuvas de primavera que regam a terra. " (Oséias 6:3). Ou seja, nosso conhecimento acerca de Deus é progressivo. Devemos nos esforçar por conhecer mais dEle, à medida em que estudamos Sua Palavra e dedicamos tempo em oração e intimidade com Ele.

Quando Deus nos prova também passamos a conhecê-Lo mais. Deus se revela à nós enquanto O buscamos com fervor em nossos desertos, e também passamos a compreender um pouco mais de como Ele age enquanto nos prova, nos forja e nos prepara para o novo nível que anseia nos levar.

A verdade é que confiamos em quem realmente conhecemos, e principalmente se temos um nível maior de intimidade com estes. Com Deus é do mesmo modo. Eu não preciso me desesperar ou temer diante dos desafios e lutas que enfrento, porque conheço o meu Senhor, e sei que Ele não me desamparará ou me deixará sozinha; Ele é fiel em Suas promessas e mesmo os meus desertos irão cooperar para o meu bem! Aleluias!

Diante disso eu entendo que a fé e a confiança em Deus estão ligadas ao meu nível de conhecimento e intimidade com Ele.

Em 2 Reis 17:33 a Bíblia diz que em determinado momento, o povo de Israel adorava o Senhor, mas também prestava culto aos seus próprios deuses. Tristemente também, ouvi que certa missionária brasileira que trabalhou quatorze anos com índios fez um grande trabalho de evangelização entre eles, mas depois de algum tempo decepcionou-se ao saber que estes índios adoravam sim a Jesus, mas juntamente de outros deuses. Para eles, Jesus era o Deus maior entre os (falsos) deuses deles.

Eu creio que nas duas situações que escrevi acima, ambos não conheciam de verdade o único e verdadeiro Deus! E é por isso que infelizmente muitos apostatam sua fé ou colocam ídolos no lugar de Deus. Se realmente conhecermos o Deus Criador, o Todo Poderoso Senhor dos Exércitos, o Deus que é o próprio amor, certamente reconheceremos que somente Ele é digno de toda nossa honra, glória e louvor!

Prossigamos em conhecer o Senhor, amados! Ele é uma Fonte inesgotável que tem muito mais para revelar de Si mesmo a nós, e à medida que O conhecemos, mais passamos a amá-Lo e a vivermos experiências tremendas com Ele!

Deus os abençoe!
Priscila Grah

18 de set de 2015

Dica de livro: Guerreiras de oração


Adquiri o livro “Guerreiras de Oração” da Stormie Omartian logo que foi lançado, e quem me segue em meu Instagram pessoal sabe que já o indiquei por lá logo que o comprei. O fato é que quero compartilhar essa dica de livro a vocês, porque tenho certeza de que serão grandemente ministrados através dessa leitura, assim como tenho sido desde então.

O conteúdo do livro se resume a nos encorajar a conhecermos progressivamente a Deus nos aprofundando em nosso relacionamento com Ele, descreve a ação do inimigo em nossas vidas, nos exorta a um posicionamento espiritual e à santidade, nos ensinando mais sobre batalha espiritual e o revestimento da armadura de Deus detalhando cada uma de suas partes.

E se não bastasse o conteúdo dos capítulos muito bem elaborado, ao final do livro estão escritas vinte orações de diversos temas, totalmente respaldadas na Palavra de Deus.
Esse livro tem sido um guia de oração para mim nas mais diversas situações, pois tenho aprendido de Deus que orar a Palavra é uma arma muito poderosa e que deve ser uma constante em nossas vidas.

Orações por proteção, livramento, cura, orientação e discernimento, provisão, vitória sobre o inimigo, salvação de outros e exaltação a Deus, são apenas algumas das orações presentes neste livro que, através do respaldo da Palavra de Deus constante nelas, tornam nossas orações eficazes e nos auxiliam diante daquilo que colocamos no altar de Deus.

Apesar do título do livro, é importar colocar que, este livro pode ser lido por homens e mulheres, por todos aqueles que anseiam aprender mais sobre oração e revestimento espiritual.

Aproveitando a postagem, compartilho que em breve, se Deus assim preparar, estarei divulgando um novo propósito para que juntos oremos a Palavra de Deus e vivamos o sobrenatural!

Boa leitura e que Deus os abençoe!
Priscila Grah

11 de set de 2015

Vigie seus pensamentos!



Amados irmãos, neste dia o Senhor nos convida a guardarmos nossas mentes e corações em Cristo Jesus, vigiando nossos pensamentos e meditações do coração.

Nesta manhã, em meu devocional com Deus, orei a Palavra de Filipenses 4:8 sobre a minha vida, declarando que tudo o que está escrito nessa passagem encheria os meus pensamentos, e enquanto eu realizei minhas atividades do dia ouvi louvores e ministrações, no qual, agora ao final do dia, posso dizer, encheram o meu coração de paz.

Está escrito: “Finalmente, irmãos, tudo o que for verdadeiro, tudo o que for nobre, tudo o que for correto, tudo o que for puro, tudo o que for amável, tudo o que for de boa fama, se houver algo de excelente ou digno de louvor, pensem nessas coisas.” (Filipenses 4:8).

Para garantirmos que nossa mente será ocupada com pensamentos nobres, corretos, puros, amáveis, (...) é necessário não apenas que desviemos possíveis pensamentos maus, impuros e pecaminosos e os repreendamos. É necessário, essencialmente, que nos enchamos do Espírito Santo e renovemos nossa mente através da Palavra de Deus, oração, adoração a Deus e tudo o que nos remete a Ele.

Um pensamento impuro ou maligno por si só já é pecaminoso e nocivo às nossas vidas, e o que torna isso ainda mais sério, é que pensamentos transformam-se em sentimentos, palavras, atitudes, e por fim, relevam quem nós realmente somos.

Jesus disse aos fariseus certa vez: “Raça de víboras, como podem vocês, que são maus, dizer coisas boas? Pois a boca fala do que está cheio o coração.” (Mateus 12:34). E em outro momento Jesus disse aos Seus discípulos: “Mas as coisas que saem da boca vêm do coração, e são essas que tornam o homem ‘impuro’. Pois do coração saem os maus pensamentos, os homicídios, os adultérios, as imoralidades sexuais, os roubos, os falsos testemunhos e as calúnias.” (Mateus 15:18,19).

Diante disso constatamos que o pecado, antes de ser consumado, é um pensamento, um meditar do coração, e quando a tentação é cedida, o pecado é por fim concebido. Aquele famoso ditado é verdade: “Cabeça vazia [ou que não conserva pensamentos saudáveis], é oficina do diabo.

Devemos vigiar quanto àquilo que colocamos de frente aos nossos olhos, com o que assistimos em filmes e na televisão, vigiemos também em relação às músicas que ouvimos, às conversas que damos ouvidos, e enfim, ao que temos permitido que entre em nossas mentes e encham nossos corações!

Nós estamos neste mundo, mas não somos daqui. A Palavra de Deus nos diz que somos peregrinos neste mundo e diante disso devemos sintonizar nossas mentes com as coisas de Deus: “Mantenham o pensamento nas coisas do alto, e não nas coisas terrenas.” (Colossenses 3:2).

E por fim, amados, que todos os dias de nossas vidas oremos de coração sincero a Deus, assim: “Que as palavras da minha boca e a meditação do meu coração sejam agradáveis a ti, Senhor, minha Rocha e meu Resgatador!” (Salmos 19:14).

Deus os abençoe!
Priscila Grah

9 de set de 2015

Permaneça em Jesus!


“Permaneçam em mim, e eu permanecerei em vocês. Nenhum ramo pode dar fruto por si mesmo, se não permanecer na videira. Vocês também não podem dar fruto, se não permanecerem em mim.” (João 15:4).

Irmãos, esta Palavra tem ecoado em meu coração nesses dias. Tenho pensado no quanto precisamos permanecer em Jesus para darmos frutos e sermos renovados em nossos dons e experiências com Ele.

Quem está ligado à Videira, que é Jesus, não pode ficar estagnado ou simplesmente não dar frutos. Está escrito que o ramo (o cristão) que não produz fruto Ele corta, poda, para que dê mais fruto (João 15:2). Ou seja, é quando estamos acomodados em nossa vida espiritual, quando não experimentamos o renovo de Deus, quando estamos frios, apáticos, distantes, é que Deus usa de alguma situação para nos “podar”, para que reconheçamos que precisamos dEle e nos atentemos ao chamado que Ele nos confiou de sermos luz e sermos usados em prol do Seu Reino.


A verdade é que não é possível perdoar sem permanecer em Jesus. Não é possível amar, não é possível mortificar a carne e obedecer a Deus, é simplesmente impossível darmos algum fruto distantes de Jesus, pois sem Ele não podemos fazer coisa alguma (Jo 15:5).

Diante disso, amado (a), escolha permanecer em Jesus. Escolha ter tempo de qualidade com Deus em oração e meditação da Sua Palavra, escolha louvá-Lo, escolha relacionar-se profundamente com Ele. Deus é tão interessado em Se relacionar conosco, que nos criou com este propósito original no Éden, e então nos resgatou através de Seu Filho Jesus Cristo, para que fomos reconciliados com Ele e O conhecêssemos cada vez mais, através de comunhão e relacionamento.

Busquemos, mergulhemos fundo, sejamos íntimos dAquele que anseia compartilhar Seus segredos conosco e nos usar para a Sua glória e Seu Reino!

Deus os abençoe!
Priscila Grah

2 de set de 2015

Reconheça o Senhor!


“Reconheça o Senhor em todos os seus caminhos, e ele endireitará as suas veredas.” (Provérbios 3:6a).

Hoje acordei com esse pensamento fixo em minha mente: “reconheça o Senhor,” e isso me fez lembrar de uma experiência recente com este versículo bíblico.

Há pouco mais de um mês atrás fui à uma viagem missionária à um estado que fica há mais de 2 mil quilômetros de onde moro, e naqueles dias fiquei muito doente, de cama. Foi muito frustrante para mim porque eu havia me preparado há vários meses para aquela viagem e havia orado muito, mas aquela foi a vontade de Deus pra mim pelos menos para alguns dos dias que fiquei naquela missão. 

Eu tinha convicção de que Deus queria me ensinar algo com aquela enfermidade, e uma das coisas que Ele usou uma das irmãs que estava comigo para me dizer, foi: “Reconheça o Senhor.”

A verdade é que precisamos amadurecer espiritualmente, irmãos. Precisamos parar de culpar e questionar a Deus quando algo que não compreendemos acontece, e devemos buscá-Lo nesses momentos, com uma entrega ainda maior, sensibilizando nossos ouvidos espirituais para ouvir o que Deus tem a nos ensinar nesses períodos difíceis.

Nessa minha experiência eu precisava reconhecer que o Senhor estava no controle diante daquela situação que para mim era assustadora, eu precisava entender que aquela foi a Sua vontade para mim e eu precisei me submeter a ela, descansando o meu coração, e confiando mesmo sem entender a situação na totalidade.

Hoje Deus nos pede que O reconheçamos em todas as áreas de nossas vidas! As vezes determinadas situações são difíceis demais de entregarmos ao Senhor de todo coração, porque somos apegados demais à nossa própria vontade ou porque resistimos àquilo que Deus pode fazer com o que entregamos em Suas mãos, mas a Bíblia, a viva e infalível Palavra de Deus, nos ensina a fazermos exatamente isso: Reconhecermos o Senhor. 

Confiarmos nEle. Entregarmos aquilo que estamos adiando entregar. E certamente nossas veredas, nossos caminhos, nossa bagunça, nosso futuro será endireitado por Ele!

Você sabe o que precisa entregar. Não resista a este chamado de Deus! Nele você pode confiar!

Deus os abençoe!
Priscila Grah